sexta-feira, 8 de maio de 2015



lambe
o verso do meu
corpo

sente
o amargo do meu
gozo

limpa
minha carne pele
osso

tira
de mim o rastro
do outro

Nenhum comentário:

Postar um comentário