domingo, 31 de maio de 2015

>-< ~~ * >

quem dera eu ser um peixe
para em teu límpido aquário mergulhar
fagner



dentre os vocês dos meus poemas
há um que poderia facilmente reinar

mas eu ponho essa trava de segurança
essa rede de prender
e não o deixo passar

mas eu ponho essa trava de segurança
essa rede de prender
e não o deixo passar

há uma sereia eu vejo
em teu lar
e eu sou caçadora
[embora sinta caça
na cadeia alimentar

não queria perturbância
deixa eu te contar

mas olha

se peixe morre pela boca,
você deixa eu te matar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário